Recents in Beach

header ads

Entrevista Chad Channing - Before Cars, Nirvana, Planos futuros

Chad Channing (Nirvana, Before Cars)

Chad Channing recentemente foi entrevistado por Greg Prato. Ele falou sobre sua banda Before Cars e o lançamento do novo álbum How We Run. Lembrou historias da época do Nirvana incluindo como ele apresentou os clássicos de David Bowie a  Kurt Cobain e Krist Novoselic.

Greg Prato (Songfacts): Vamos falar sobre sua recente gravadora, Pocket Star Records. Terão outros artistas novos, ou a princípio são apenas para seus trabalhos?

Chad Channing: Nós decidimos que queríamos ir em frente e só trabalhar com nossas músicas. Porque é um tipo de sofrimento atualmente tentar fechar com outra gravadora. Meu primeiro disco Walk Back de 2008 eu fiz com a gravadora Flotation Records, foi divertido trabalhar com Rob Daily, mas ele é como uma equipe de um homem só tentando fazer todas essas coisas. Era difícil tentar trabalhar na promoção e todo resto, por isso, pensei: "Bem, desta vez, vamos fazê-lo nós mesmos." E Justine [violinista Justine Jeanotte] realmente cumpriu varias tarefas. Ela achou uma boa idéia. "Muitas bandas estão realmente fazendo isso" Algumas bandas que estavam em grandes gravadoras quando seu contratos aumentaram, decidiram fazer por conta própria. E então decidimos fazer isso e criamos a Pocket Star Records.
Estamos finalizando nosso site. Neste momento é apenas uma forma para divulgarmos o Before Cars . Iremos divulgar também outra banda chamada Paundy, que eu também toco. E divulgaremos um amigo meu muito talentoso, Derek Burns.
E então veremos como será.  Quer dizer, quem sabe? Se as coisas realmente correrem bem para todo mundo, talvez a Pocket Star Records irá se transformar em algo um pouco maior. Por enquanto, nós estamos indo com calma, trabalhando com nosso próprio material

Songfacts: Quando você diz que "nós"  iniciamos o selo, eu entendo como "você e os outros membros da banda"

Chade: Sim.

Songfacts: Além de você fazer vocais, guitarra, e baixo na banda, quem são os outros membros do Before Cars

    Chad Channing (Nirvana, Before Cars)


Chade: Justine Jeanotte [violino / teclado], Paul Burback [guitarra baixo / / vocais], e Andy Miller [bateria / percussão / teclado].

Songfacts: O que exatamente os fãs podem esperar do álbum How We Run, e como você o  compara ao álbum anterior Walk Back ?

Chade: Bem, é definitivamente muito diferente do primeiro disco que fizemos. Este registro se concentrou mais em várias músicas que me influenciaram quando eu era criança. Porque o meu pai - ele era um DJ - estava sempre no rádio. Isto é principalmente em meados dos anos 70. E assim eu tive muitas influências de vários tipos de músicas dos anos 70.  Qualquer coisa de David Bowie a Jim Croce. Uma espécie de mistura de cantores e compositores dos anos 70, talvez final dos anos 70, coisas pop no início dos anos 80. E o álbum fortemente puxa isso. Portanto, é mais maduro em comparação ao primeiro registro. Resumindo, definitivamente há uma certa de distância no que eu faço agora e o que eu fiz anteriormente.

Songfacts: É interessante que você acabou de mencionar Jim Croce, porque quando eu estava ouvindo How the Run, eu definitivamente comparei ao soft rock vibe,dos anos 70 como Jim CroceSeals and Crofts.

Chade: Yeah!

Songfacts: Eu não tenho certeza se você sabe, mas tem um livro interessante sobre Jim Croce, que saiu no ano passado, chamado I Got a Name: The Jim Croce Story, que foi escrito pela viúva de Jim, Ingrid.

Chade: Uau. Não, eu não sabia.

Songfacts: É um livro muito revelador que mostra que havia um lado bom em Jim, além do lado obscuro.

Chade: Isso não me surpreende. Eu adoraria ver isso.

Songfacts: Quais são algumas de suas canções favoritas de How We Run?

Chade:  Bem, um das minhas favoritas é uma canção chamada  "Catch You When You Fall." E outra é a última música do disco chamado "Gás Stop", que é a canção que eu escrevi sobre um evento real que aconteceu comigo quando eu tinha seis anos de idade na época.
Em suma, nós viajávamos e mudávamos muito.  Em uma dessas viagens, tínhamos parado num posto de gasolina em uma  numa pequena cidade, e todo mundo saiu para ir ao banheiro. Enfim, quando eu voltei, ví que nosso caminhão tinha ido embora! Estávamos viajando neste caminhão Ford antigo que tinha um trailer sobre ele. Ele se foi e eu pensei, "Bem, onde eles foram?"
Eu não sabia o que fazer, então apenas caminhei cerca de um quarteirão, algo assim e  me sentei na calçada ao lado de um poste de telefone sem saber o que fazer a seguir.
E o que aconteceu foi que normalmente uma das crianças - eu tinha duas irmãs comigo na época -  sentou-se na cabine na frente com meus pais, e as outras duas na parte de trás. Assim, a minha mãe perguntou, "Está todo mundo aí ?" E minhas irmãs responderam, "Sim, sim". Minhas irmãs acharam que eu estava na frente da cabine e meus pais pensaram que eu estava na parte de trás. E assim dirigiram horas na estrada, até perceberem que eu não estava no carro. E minha mãe quase teve um ataque cardíaco. Eu não sei quanto tempo eu estava lá, mas o sol estava se pondo quando eu os vi.
E eu ainda estava sentado no mesmo lugar.

Songfacts: Before Cars pensa em fazer shows para divulgar o novo álbum?

Chade: Nós estamos planejando isso. Vamos começar fazer alguns shows locais, uma festa de lançamento do CD, e então mais algumas apresentações. Mas o que nós queremos tentar fazer é uma mini tour, como descer pela Costa Oeste em algumas semanas e voltar, e em seguida, em uma data posterior tentar  o Centro-Oeste. E então, em algum momento talvez ver se podemos chegar à Costa Leste. E, eventualmente, se possível, como em 2010, voltar para a Europa. Então, nós definitivamente queremos tocar para divulgar o álbum, E temos que fazer isso pouco a pouco, eu acho.

Songfacts: Quais são alguns dos seus compositores favoritos?

Chade: Oh, wow. Vamos ver. Bem, eu sempre pensei que todos os caras do The Beatles foram grandes compositores. Então, de longe, eles sempre foram um dos meus favoritos de todos os tempo. Eu amo a composição do Portishead. Eu acho que o que eles fazem é simplesmente fabuloso. Eu também sempre fui um grande fã do compositor do Radiohead. Também Björk. Quando eu escuto grupos como esses, é como se eu realmente sentisse que esses caras irão gravar somente o que querem gostam de escrever. É isso.
E por falar em carros, eu sempre achei que The Cars eram grandes compositores também. Puxa, existem muitos lá fora. Crosby, Stills & Nash também são grandes compositores.

Songfacts: E você mencionou David Bowie antes. Você diria que Bowie também é um dos seus favoritos?

Chade: Ah, sim. Amo as coisas dele.

Songfacts: Bowie e Neil Young são duas pessoas que eu acho que compuseram uma grande variedade de estilos.

Chade: Definitivamente. Eles realmente ultrapassaram limites.

Songfacts: E Queen sempre achei que escreveram uma grande variedade de coisas.

Chade: Sim. Eu concordo totalmente com isso. Led Zeppelin, também.

Channing deixou o Nirvana em 1990 - um fator contribuinte foi a falta de material de composição - e inicialmente foi substituído pelo baterista Dan Peters Mudhoney.  A era Peters do Nirvana foi breve, já que durou apenas um único show (22 de setembro de 1990, no Motor Sports International Garage em Seattle) e um single ("Sliver"). Pouco tempo depois, Dave Grohl assinou, e assumiu como o ocupante do trono da bateria do Nirvana até o fim da banda. 

Chad Channing (Nirvana, Before Cars)


Songfacts: E já que estamos falando de compositores, como você compararia composições de Kurt Cobain a alguns dos compositores que você acabou de mencionar que são alguns de seus favoritos?

Chade: Bem, eu honestamente digo que Kurt é um dos primeiros dos meus compositores favoritos. Quer dizer, isso foi o que me atraiu desde o primeiro dia, quando eles vieram até mim perguntando se eu queria ser o baterista. Quando eu ví alguns shows que eles fizeram,  foi, provavelmente, a primeira coisa que chamou minha atenção. Guitarras pesadas e todo esse tipo de coisa não era novidade para mim na época, mas a forma como ele escrevia suas melodias vocais e transformou essas músicas pesadas em grandes canções pop, eu acho muito intrigante. Então era como, "Oh, esse é realmente um caminho legal para ir."  Não como, "Ok, bem, nós estamos tocando este som de banda de rock bem pesado, por isso temos de ter certeza de que cada música é realmente pesada com gritos e todo esse tipo de coisa".   "Nós dizíamos que poderíamos levar para outra direção, também. Especialmente uma canção como "About A Girl",  por exemplo. É uma espécie de música pesada, mas tem uma sensibilidade pop total. Eu sempre achei que ele era um grande compositor.

Songfacts: E eu ia colocar Kurt na mesma categoria, como alguém que escreveu músicas em uma grande variedade de estilos também.

Chade: Oh, sim, definitivamente. Ele poderia ficar tão suave como "Polly" e depois fazer "Smells Like Teen Spirit". Quer dizer, tinha uma vasta gama de opções.

Songfacts: Eu concordo. E uma coisa que eu me lembro que nós discutimos um tempo atrás que eu achei interessante, foi que você veio com alguns títulos de músicas do Nirvana, e então Kurt colocou-os nas canções.

Chade: Yeah. Bem, a primeira foi "About A Girl". Eu lembro que nós estávamos ensaiando a música não muito antes de gravarmos o disco Bleach. Kurt estava tocando a música e nós estávamos trabalhando outras. Eu perguntei para Kurt que canção era, e ele respondeu, "Bem, eu realmente não sei." E então eu disse, "Bem, do que se trata?" E ele diz: "É sobre uma garota." E eu disse: "Bem, por que não chamá-la apenas" About A Girl '? " E ele meio que me olhou, sorriu e disse: "Ok". Ficamos com ela.
E então a outra música que vem à mente é uma canção chamada "Big Long Now".  Acho que poderia até mesmo ter sido no estúdio de gravação, "Ok, então essa é sobre o que?" E ele disse, "Bem, eu realmente não tenho um título para isso", e então eu falei de improviso "Big ... Low ... Now?" Eu estava tentando pensar em algo que eu sentia com a música . Porque era lento, pesado, e algo que nós estávamos fazendo naquele momento. Então eu pensei, "Big low now?" E mais uma vez,  Kurt  gostou, "Ok, vamos deixar assim."

Songfacts: E, olhando para trás, existe alguma canção do Nirvana que você tenha escrito mas não obteve crédito?

Chade: Não realmente. Quer dizer, além de unir e escrever as partes de bateria para ele, realmente não havia muito material assim. E principalmente porque não havia muita oportunidade para isso, porque raramente havia um momento onde iríamos sentar e escrever músicas juntos. Normalmente, quando eu vinha  para o ensaio Kurt já tinha as músicas . Ele pode ter passado algum tempo com Krist e trabalhado juntos. É como, "Oh, aqui está uma canção." E então eles me ligavam e nós ensaiávamos.
Mas também, esses caras, moravam próximos um do outro, e eu estava há pelo menos uma hora de distância, porque vivia em Bainbridge [Kurt e Krist morava em Olympia, no momento]. Então, eu  não estava prontamente disponível, como  "Eu vou passar pela rua e vamos trabalhar algumas músicas novas."

Songfacts: Você já testemunhou Kurt escrever uma música do começo ao fim, seja na van, na passagem de som, ou no estúdio?

Chade: A canção "Blandest"  talvez. Ele só tirou o riff e começou a tocar. A primeira vez que ouvi essa música, fomos verificar o som para um show. Eu não tinha ouvido ela antes, e eu tenho a sensação de que ele ainda a estava trabalhando. Provavelmente isso foi o mais próximo que eu ouvi de uma canção que ele ainda estava escrevendo.
Mas a maioria das vezes não era assim. Houve algumas ocasiões, quando nós estávamos gravando Bleach, que ele pegava seu bloco de notas  e sentava-se na van. Nós dirigíamos para o estúdio ou outro lugar, e ele dizia, "Ok, eu estou tentando criar essas letras. O que rima com macaco?" Às vezes, ele perguntava algo assim. Nós então atirávamos palavras ou objetos.

Songfacts: Eu me lembro quando eu o entrevistei para o meu livro, Grunge is Dead, você me contou uma história muito legal que foi você quem mostrou ao Kurt e Krist o trabalho de David Bowie.

Chade: Nós estávamos em Boston e paramos em uma loja de discos, e eu encontrei o exemplar de "The Man Who Sold The World". Era uma cópia legal - tinha um poster nele e tudo. E esses caras não estavam familiarizados com o disco. E eu perguntei " Qual material de David Bowies vocês gostam ? Vocês gostam de David Bowie?" E eles pensaram, "Bem, a única música de David Bowie que estamos familiarizados com é" Let´s Dance"  Eu Fiquei surpreso. "Sério? Wow"  "Vocês tem que ouvir  David Bowie, o quanto antes, com certeza."
Então, quando tive a oportunidade, fiz uma fita na casa de alguém, e, enquanto estávamos em turnê eu coloquei e deixei rolar. Depois de um tempo, Kurt se virou e me disse: "Quem é este? " eu gostei, e tem algo familiar com a voz e outras coisas. Eu disse, "Bem, este é David Bowie. Este é o álbum "The Man Who Sold the World." Ele respondeu, "Sim, isso é muito legal."  Eu disse, "Você deve ouvir Hunky Dory (4º álbum de Bowie) e outros." E assim, finalmente, eu tenho certeza que ele fez. E se aprofundou totalmente.

Songfacts: Outra história interessante que você me disse no passado foi que você quem fez o trabalho dos pratos na canção "Polly". O que você lembra sobre a gravação dessa música?

Chade: É engraçado, eu nem sequer percebi que essa versão de "Polly",  foi tirada das sessões em Madison quando fizemos o Nevermind. Quer dizer, era, eu não sei, quase dez anos de estrada, até que alguém mencionou para mim.  "Sério?" E eu escutei, eu disse, "Ok, isso faz sentido."
Eles me colocaram em uma sala menor, que normalmente tem guitarras e coisas assim. Eu sentei lá com o meu prato de condução, e  havia certas partes que eu tinha que alcançar. E eu pensei: "Bem, então eu alcançarei isso." Porque eles mencionaram que estava insuficiente. E eu, "Bem, como insuficiente? Quer dizer, estamos falando então de apenas um chimbau bater aqui ou ali?" E o consenso era: "Sim, algo assim. Realmente maduro."
Eu fui lá e só rolou isso. E eles disseram: "Só acentua  aqui neste trecho" Então eu fiz.  "Ok,  funcionou totalmente." Então deixamos assim.

Songfacts: Acabei de ler que finalmente eles lhe deram crédito quando relançaram a edição de 20 anos do Nevermind

Chade: Você sabe, eu não olhei. Talvez tenham dado.

Songfacts: Outra história que você me contou no livro um tempo atrás foi como "Blew" foi equivocadamente afinada. Foi afinada em Dó?

Chade: Sim, foi. Foi afinada em Dó. Era para ser apenas afinada em Ré,  e já estávamos em Ré. De modo que acabou, descendo para Dó. E foi uma espécie de surpresa, na verdade, de uma vitória, porque eu imaginei uma afinação baixa em Dó, especialmente para o baixo ... Pensei surpreso.. As cordas não ficaram soltas? Devem ter ficado meio penduradas, ou algo assim.
Eu não sei, achei que dava para fazer, eu tinha testado isso antes. E de alguma forma funcionou

Songfacts: Talvez para a sessão,  Krist usou um encordoamento mais pesado

Chade: É possível. Ele pode ter tocado sempre com encordoamento pesado, muito, no entanto. Quero dizer, homem grande, mãos grandes, você sabe. Seria como eu tocar com encordoamento leve.

Songfacts: E então você fez parte de um projeto pós-Nirvana que poucas pessoas conhecem o Fire Ants

Chade: Ah, sim. Bem, Fire Ants, foi realmente a primeira banda que eu fiz parte depois do Nirvana e que tenho algo gravado. Eu brinquei um pouco antes disso, mas Fire Ants foi o primeiro grupo de fato. E no começo era eu e Kevin Wood, irmão do falecido Andrew Wood [vocalista dos Mother Love Bone], Dan McDonald que tocou baixo para nós, e o vocalista - eu não posso dizer o seu nome, e que não durou muito tempo. Foram talvez três ou quatro ensaios, algo assim. E eu acho que não era para ele e ele quis seguir em frente.
Mas depois, nós tocamos com irmão de Kevin, Brian Wood. E foi assim eu, Kevin, Brian, e Dan. Nós gravamos um EP com Jack Endino, acredito que fizemos no Reciprocal Studios, ou seja como era chamado na época.  E então nós gravamos um single e tocamos em vários shows. E as coisas estavam indo muito bem para a banda. Foi realmente muito divertido e nós estávamos fazendo muitas coisas.
Mas eventualmente, Brian apenas... Eu não sei, é difícil de explicar, mas ele se apresentou a altura e foram seus melhores shows que talvez até pudéssemos dizer: "Ah, isso realmente não importa tanto." Mas se algumas pessoas saíssem particular para nos ver, seria o oposto. Então, eu nunca soube realmente o que estava em sua mente. Tocar em um show e ser algum executivo lá fora, mas ele talvez nem se via em cima do palco ou algo assim. Enfim, não durou muito tempo. Mas foi divertido enquanto durou.

Songfacts: Algo que eu sempre quis saber, você já conheceu Dave Grohl?

Chade: Yeah. Primeira vez que encontrei Dave Grohl foi no Hotel OK, e eles estavam fazendo um show lá. E eu estava apenas sentado no bar e Krist tinha entrado e Dave estava atrás dele. "Hey, Chade," eu respondi "Hey Kurt, Krist, como vão?" E ao sair o apresentaram "Oh, esse é o Dave." E eu respondi: "Ei, Dave, como vai? Não me lembro exatamente os outros lugares que eu falei com  ele. Uma delas foi, é claro, no velório de Kurt. Mas acho que eu  só conversei com ele ao vivo, talvez três vezes.
Mas é um cara muito, muito legal. Eu acho que foi uma ótima escolha para assumir as rédeas da bateria.

Songfacts: Se surgir a oportunidade para tocar em alguns shows com o Dave ou o Foo Fighters, você consideraria?

Chad: Eu não sei se eles iriam me convidar, mas eu considero, sim. Seria divertido

07 de março de 2013.

Greg Prato falou pela primeira vez com o Chade em 2009 para o livro Grunge is Dead: The Oral History of Seattle Rock Music.
Before Cars

Pocket Star Records


Credit foto Nirvana: Charles Peterson

Fonte: SONGFACTS