Recents in Beach

header ads

Entrevista não divulgada de Perí Carpigiani à MTV


O músico Perí Carpigiani que está gravando seu segundo álbum solo concedeu uma entrevista para emissora MTV ano passado, que não foi ao ar  devido a mudança da mesma da Abril para Viacom.

Como o conteúdo é atemporal, o músico entrou em contato com o Rock na Mochila e disponibilizou a matéria onde ele fala sobre seu novo álbum, o fim da banda 9MA, gostos pessoais e mais música:

            Se consolidando no cenário da música nacional, o ex vocalista da super  banda 9 Mil Anjos, que teve os músicos Champignon, Jr Lima e Peu,  grava seu segundo trabalho solo , após ter seu primeiro CD  ESGOTADOS NAS LOJAS

                          


Thiago Herz - O que você acha do cenário da música Nacional?
Perí- Primeiramente, muito obrigado a todos que estão lendo essa entrevista…valeu pela oportunidade...
Acho que reflete a mente da maioria. Reflete a maneira com que o dinheiro destinado á cultura e educação é usado e o que o povo faz pra mudar isso. Acredito que a música seja uma coisa muito ligada ao "esquecer da vida" e como o Brasileiro tem motivos e motivos pra esquecer da vida, rsrsrs… Mas eu gosto de músicas com intenção política principalmente, ou espiritual tb…música que traga mensagem de mudança...

TH- Que religião você pratica?
Perí - Eu pratico a paz,( pelo menos eu tento,rs) e tento fazer o melhor que eu posso sempre. Acho que a religião, na sua essência, está baseada nesse princípio,  rsrsrs. Mas também acho que é muito importante se observar e saber separar as suas atitudes da sua religião e ver se existe coerência entre elas.

TH- Qual estilo musical você mais gosta?
Perí - Sempre gostei do Rap nacional. Acho que hoje o Rap é a música que representa a maioria no Brasil. Fez a diferença. Dentro do Rock, a banda que eu mais gosto é o Sepultura e na MPB, Lenine é artista de vanguarda. Hip Hop tb me faz bem…a música brasileira é muito rica, tem gente boa fazendo de tudo. Meu amigo voltou do Marrocos com umas ideias muito diferentes.

TH - Que instrumentos toca?
Perí - Meu instrumento preferido é o Sampler, ou Launchpad…Mas toco bateria, um pouco de percussão, violão, Guitarra e baixo. Nesse meu segundo CD eu estou gravando grande parte dos instrumentos, diferente de como foi com o Horizonte Vertical, onde vários músicos foram convidados…Isso, além de vocal, claro...

TH- Usa muita tecnologia?
Perí - Impossível não usar, rsrs... mas a Tecnologia veio pra somar e eu gosto de estar atento as mudanças, a evolução, principalmente da música, arte pela qual me interesso mais.

TH - O que vc acha do momento da política no Brasil?
Perí - Por incrível que pareça é um momento de limpeza. 

TH - O que você acha que vai acontecer no futuro do mundo?
Perí - Aff, essa é difícil..rsrsrs…mas eu acredito num mundo com cada vez menos fronteiras, e sei que se o ser humano quisesse,  resolveria em pouco tempo a maioria dos problemas que estão aí faz tanto tempo.

TH- Que causas você apoia e quais você não apoiaria e porque?
Perí - Apoio o "caso a caso", a atitude individual. Não sou contra, mas não levanto a bandeira da legalização das drogas, por exemplo…se eu for abraçar alguma causa, ou é por moradia, ou por saneamento básico, educação…aí sim, como resultado de uma vida que teve oportunidade, o cara vai poder optar se quer ou não quer isso ou aquilo…sou colaborador da ONG SOCIAL SKATE e gosto de falar dela sempre que posso…é um trabalho muito bonito, de colaboração e atitude…

TH - Por quais outros assuntos você se interessa?
Perí - Por astronomia e praia. Gosto de ir ao centro da cidade tb...  (SP) e ver a galera se misturar. Andar de noite por lá é uma experiência que todo mundo deveria ter…ver algumas coisas que nem todo mundo gosta de ver… aprender muita coisa com isso. 

TH - Que livros costuma ler?
Perí - Principalmente biografias, ou documentários. 

TH - Como foi o momento do falecimento do Champignon e do Peu, seus ex-,.parceiros de banda 9MA? como você reagiu a isso?
Perí - Pensei que havia reagido bem, mas só agora sei que não. Fiquei triste e até hoje eu penso neles como parceiros. Mas ao mesmo tempo a morte deles me fez aprender coisas sobre a vida que eu nem imaginava,…eu acredito que a melhor maneira de encarar a vida é transformar as experiências difíceis em coisas boas pra gente…é como eu tento encarar…Na verdade a gente não se via fazia algum tempo, mas quando vc grava um álbum junto, viaja, divide a vida por um tempo, a energia da pessoa fica em vc de alguma forma, é interessante…Importante é lembrar com alegria…Saudade positiva...

TH - Como tem sido sua vida desde o fim da banda 9MA?
Perí - 9MA foi uma referência pra mim, deixou muita gente preconceituosa sem ter o que falar e boa parte da imprensa se assustou e antes de entender, estranhou. Aquilo que eu achei que fosse mentira acontece mesmo…o julgamento alheio…a maldade anterior ao saber…é hilário..…a gente dava risada…Hoje, eu estou gravando meu segundo CD solo, o primeiro esgotou nas lojas e isso me deixou muito feliz, porque de certa maneira é um grande incentivo. Fora os grandes amigos e pessoas que acompanham meu trabalho até hoje. 

TH - Quem foram as pessoas que te apoiaram durante esse período pós 9MA?
Perí - Nossa, várias, … Não foi esse fim de mundo como parece, rsrs, mas é claro que a estrutura mudou e eu dei sequência na minha vida. Aprendendo sempre o que eu tinha que fazer pra ficar "acima da água" rsrsrs. A Luka, (89 FM) foi minha minha parceira durante boa parte desse trajetória. Minha família e amigos tb. A galera da minha banda, o Renato Lellis, o Guilherme Del Bianco e o Gustavo Hanaoka…o Charley Gima e o Michel Kuaker tb... O que eu acho é que a relação entre as pessoas é de puro aprendizado...

TH - O que você pretende "dizer" com seu novo álbum?
Perí - Está em fase de produção, eu entro no studio sem nenhuma ideia e gravo o que me vem a mente. O Kuaker, que está fazendo comigo esse CD, é um produtor muito generoso e deixa vc livre pra criar, sem se sentir "constrangido", porque studio, pode ser um lugar meio "delicado" pro cara que está compondo e gravando ao vivo,… uma palavra negativa, do jeito errado e vc acaba com a inspiração do cara no dia…rsrsrs…o lado "psicólogo" do produtor é fundamental. Acho que o jeito mais verdadeiro de fazer um álbum é esse, chegar no studio e gravar compondo, reflete exatamente o momento que o autor está vivendo. Mas eu levo sempre uma pasta com um monte de letras,  caso não venha inspiração na hora…rs…

TH - O que vc diz pra galera que está começando agora.
Perí - hum….Fiquem espertos e aprendam com os mais novos… - quem domina a tecnologia hj são os mais novos. Acho que isso resume bem.

TH - Deixe um link ou fale aonde a galera pode encontrar as suas musicas…
Perí - as 17 faixas do meu primeiro CD vc encontra para DL Gratuíto no SITE e para ficar por dentro das datas dos shows, etc, FACEBOOK.
Twitter e Instagram - @perioficial 
Até a próxima.