Recents in Beach

header ads

Guns and Roses em São Paulo - Rock remando contra a maré !!




A Arena Anhembi quase lotada recebeu na Sexta-feira, 28 de Março, a banda Guns and Roses para a sua 4ª apresentação da South American Tour 2014 no Brasil.

Enquanto o público ia chegando, a banda nacional de hard rock Doctor Pheabes abriu a noite. Formada em 86 por Fernando Parrillo na guitarra, Eduardo Fagundes vocal /guitarra, Paulo Ressio na batera e Fábio Ressio no baixo, tocaram seus maiores sucessos como Setenta Cães, Suzy, De onde é que você veio, Godzila além de Cocaine (Cover de Eric Clapton). Agradecendo a oportunidade que está sendo abrir para o Guns n´Roses, deram o seu recado muito bem.
Plebe Rude, formada em Brasilia em 1981 entrou em seguida tocando grandes clássicos como Proteção, Luzes, Patria Amada (dos Inocentes), entre outros.
Philippe Seabra - vocal e guitarra, Clemente - vocal e guitarra, André X no baixo e vocal e Marcelo Capucci na bateira, fizeram uma apresentação espetacular mas infelizmente para o público errado. Pelo menos na pista Vip, era visivel apatia de 99% das pessoas que só deram uma 'empolgadinha' na canção Até quando Esperar
Eu poderia até achar que esse desânimo todo era devido ao fato da Plebe ser uma banda de Punk Rock, em um show voltado para o hard rock, como o músico afirmou, "Vocês gostam de Hard Rock e não de Punk", mas não foi o caso.
Quando a banda principal entrou no palco, as 23:30min, esse mesmo público aplaudiu, deu uma puladinha mas permaneceram estáticos a maior parte do tempo, claro, com alguns gritos histéricos de algumas fãs mais afoitas e aplausos nas músicas mais clássicas como "Welcome to The Jungle", "Estranged", "Sweet Child O´Mine". No mais, era possível assistir ao show pelo visor de inúmeras cameras e celulares em punho - muito diferente da apresentação com a formação clássica em 1992, onde você tinha que torcer para não se desiquilibrar na pista devido a agitação do público do começo ao fim. 
Onze anos se passaram, e dessa formação, permanecem apenas o vocalista Axl Rose e o tecladista Dizzy Reed. 
Apesar da critica profissional e do público em geral não ser a favor da banda atual que também conta com os músicos  Richard Fortus e Ron “Bumblefoot” Thal e DJ Ashba (guitarras), Tommy Stinson (baixo), Frank Ferrer (bateria) Chris Pitman (teclados),  seria no mínimo injusto dizer que eles não estão a altura do nome Guns n´Roses. É claro que eles não fazem o som no mesmo ritmo dos músicos originais, e eu nem sei se eles tem essa pretensão, mas são excelentes e seguram a onda muito bem. 
A banda mudou, Axl Rose envelheceu e não tem mais o pique do garoto que corria e rebolava com calça de lycra em cima do palco. Mas quem não envelhece? Ainda mais com a vida que ele levou. Então - e infelizmente - o que eu posso realmente lamentar nas apresentações, é a sua voz que oscila muito o tempo todo. Não lamento nem mesmo seus atrasos costumeiros, afinal isso sempre fez parte da personalidade de Axl Rose. 
A surpresa da noite ficou por conta de Bumblefoot tocando "Tema da Vitória" em homenagem ao piloto Ayrton Senna.
Em quase 3h de show, presenciamos solos de todos os músicos, Bumblefoot também apresentou seu trabalho, Abnormal, e o tecladista  Tommy Stinson fez o cover de Sex Pistols Holidays In The Sun. 
Para finalizar, mesmo com toda critica negativa, a apatia do público da "pista VIP", Guns N´Roses, após 18 anos ainda consegue lotar seus shows nadando contra a maré, exatamente como o Rock deve ser. 

Agradecimentos Especiais:
Rogério Laroca
Denise Catto Joia (Midiorama)
Marcelo Rossi (Fotógrafo oficial - Brasil)