Recents in Beach

header ads

Festival Tamo aí na Atividade - Homenagem comovente à banda Charlie Brown Jr, Chorão e Champignon




O evento realizado no espaço da Estância Alto da Serra, dia 13 de Maio, reuniu grandes nomes da música nacional e internacional para homenagear os 20 anos da banda Charlie Brown Jr. como também os músicos Chorão e Champignon, vocalista e baixista, falecidos ano passado.
As bandas Garage Fuzz, Dead Fish, Emicida, Suicidal Tendencies e Mano Brown abriram o espetáculo.
Sem muita conversa, Emicida levantou o público que cantou todas as músicas junto com rapper. 
Um dos destaques do set list, foi a homenagem ao Sabotage, na música O Rap é Compromisso.
Do hip-hop passamos para as rodas de pogo no som brutal da banda Suicidal Tendencies. Os músicos ainda distribuiram bandanas e palhetas, e como de costume chamaram o público para dividir o palco com eles em duas canções.
Mano Brown chegou atrasado (rumores de que estava no estádio assistindo o Santos no final do campeonato), fez uma apresentação rápida, deixando os fãs pedindo mais músicas.
A homenagem em si realmente começou quando o ator Milhem Cortaz (Tropa de Elite) 



chamou  os remanescentes da banda Charlie Brown Jr, ao palco: os guitarristas Marco Britto (Marcão) e Thiago Castanho, o baixista Heitor Gomes e o baterista Bruno Graveto.
O coro literalmente comeu com a primeira música, O Coro vai Comê, com o primeiro convidado da noite, Egypsio (Thihuana). Ele ainda tocou Tudo que ela gosta de escutar e Proibida pra mim;
Em seguida, foi a vez de Mano Changes (Comunidade Nin-Jitsu) tocar Zoio de Lula;
Alexandre (Natirruts) tocou Me Encontra;
Supla, deu sua contribuição na canção Hoje eu Acordei Feliz, apesar de entrar com uma cola na mão, e ter lido a letra inteira;
O trio João Gordo (Ratos de Porão), Andreas Kisser (Sepultura) e Rafael Bittencourt (Angra) apresentaram Vida de Magnata;
Andreas Kisser também foi convidado a cantar So Far Away . Ele agradeceu o convite, pediu permissão para fazer os vocais da música e agitou o público com uma performance impecável;
Marcelo Mancini (Strike) e o músico Marcio Melo cantaram junto Pontes Indestrutíveis, e Marcelo cantou Papo Reto e Não É Sério;
Emicida e a baixista da A Banca, Helena Papini, que vestia o pescador usado pelo Champingnon, cantaram Como Tudo Deve Ser;
Di Ferrero cantou Dias de Luz, Dias de Glória, Só os Loucos Sabem e um trecho de Be Myself;
Fernando Deluqui (RPM) foi apresentado pelo Marcão, como o músico que fez parte de sua infância nos anos 80,  participou da  música Te Levar;
Marcelo Nova, elegante, subiu ao palco ovacionado com a famosa frase "Bota pra Fudê" para cantar Hoje;
Mike Murr (vocal do Suicidal Tendencies) foi apresentado pelo Thiago como "O cara que Chorão queria ser",  fez sua participação cantando Violent & Funky;
DJ Cia e Sandrão (RZO) interpretaram Ratata é Bicho Solto;
No final, Meu Novo Mundo foi cantado pelo filho do Chorão, Alexandre, com a participação de um público emocionado que lotou o espaço.
Os músicos que ainda estavam presentes voltaram ao palco, encerrando a Homenagem com Chave de Ouro.