Recents in Beach

header ads

Porão do Rock 2014 - Atrações para todos os gostos !



Podemos afirmar que foi um festival para todos os gostos.
As bandas se dividiram em três palcos, Budweiser, Chilli Beans e UniCEUB e a diversidade de público era visível em cada apresentação. Uma mistura de fãs da banda, fãs do estilo de música e quem assistia para conhecer ou mesmo apenas se divertir naquele momento, fosse a banda que fosse.
As apresentações foram bem aceitas. Das ‘poucos conhecidas’ ao ‘mainstream’ todas saíram do palco muito aplaudidas.

VEJAM AS FOTOS 

SÁBADO
DOMINGO

Sábado, 30 de Agosto

O destaque do dia foi a banda Far From Alaska.
Com apenas dois anos de existência, e dois discos gravados, a banda do Rio Grande do Norte fez uma apresentação impecável.
Uma mistura de rock com eletrônico, sem influência definida – como eles mesmo gostam de dizer – agitaram não só os fãs presentes no local, que vestiam a camiseta da banda como também quem não os conhecia e só teve elogios após o encerramento.




 Supla e João Suplicy, os Brothers of Brazil fizeram um show divertido. Irreverente, Supla arrancou gritos histéricos das fãs o tempo inteiro - e principalmente - na interpretação da canção “Comer você”.
No setlist, Imagine de John Lennon, “Tudo pelo poder”, música que critica a política no país, e “Garota de Berlim”, a mais cantada pelo público.




Ratos de Porãofez uma apresentação insana no palco Budweiser. Um setlist com 23 canções, escolhidas a dedo levou os fãs que lotavam o espaço, à loucura.
O vocalista João Gordo fez uma crítica ao caso da garota vitima de racismo por ter postado uma foto com seu namorado na rede social. O mesmo afirmou que o facebook serve para mostrar a verdadeira identidade das pessoas, racistas, homofóbicas, escrotas. Citou também o caso do goleiro do Santos, também vitima de racismo por torcedores do grêmio e explicou que a canção a seguir, Diet Paranóia foi escrita justamente pelo fato dos gordos também serem alvos de piadas.
JG também fez uma crítica à Copa do Mundo, antes de executar “Grande Bosta”.




André Matos que está em carreira solo foi bem recebido pelo público. O setlist iniciou com “Liberty” de seu material recente Turn of the Lights seguido de “I`ll return” e “Rio”.
Quando André anunciou que iria tocar algumas músicas do Shaman, Angra e Viper, na segunda parte da apresentação, os fãs foram ao delírio. Dessa forma, “Living for the Night”, “CarryOn”, “Time”, “Angels Cry” foram cantadas e muito aplaudidas pelos fãs.






Pitty veio com um setlist para todos os gostos. “Sete Vidas”, canção que leva o mesmo nome de seu novo álbum abriu a apresentação, seguida de “Anacrônico”e “Adorável Chip Novo”. O público que lotou o local cantou junto todas as canções,vibrando com aplausos e o coro “Gostosa” – ignorado pela cantora.
Visivelmente mais magra, propositalmente ou não, a cantora permaneceu o tempo inteiro no fundo do palco embaixo de uma iluminação escura que mal dava para ver seu rosto. Não dançou como de costume, mas cantou brilhantemente, fechando com chave de ouro a edição de Sábado do festival.




Domingo, 31 de Agosto

A cantora Érika Martins se apresentou Lindamente no palco UniCEUB, encantou o público com seu charme e com profissionalismo cantou músicas de todos seus álbuns.
O músico Nevilton, que tinha se apresentado momento antes fez uma participação especial em “Fundidos”.“Namorinho de portão” foi oferecida ao saudoso produtor Tom Capone, que faleceu há dez anos.  “Ainda queima a esperança” de Raul Seixas também estava presente no setlist.
Érika, que interagiu o tempo todo com os fãs contou com orgulho, antes de interpretar “Garota Interrompida” que a mesma fez muito sucesso na Alemanha, quando estavam em turnê na Europa.





Enquanto o pop de Érika embalava o público do palco UniCEUB, do outro lado do evento, a banda de hardcore de São Bernardo do Campo, SP Ação Direta incendiou a platéia com uma apresentação crua e impactante. Vale lembrar que a banda tem 26 anos de carreira e essa foi a 1ª vez que tocaram no festival.



CJ Ramone, foi um dos exemplos mais fieis do que eu escrevi no início – o evento foi marcado pela diversidade de público em cada apresentação: na minha frente dois garotos pulavam enlouquecidos, cantando todas as músicas junto com a banda, ao meu lado, outro garoto perguntou se CJ era músico original dos Ramones; e após o show, uma repórter veio confirmar se ele era o ex baixista. Não importa se eram “fãs de carteirinha” ou apenas “curiosos”, o músico atingiu a todos.
O setlist foi marcado com canções de seu disco “Last chance to dance”, que será lançado em breve, canções do álbum anterior “Reconquista” e como não poderia faltar, músicas dos Ramones – sempre o ponto alto em suas apresentações.
Após o show, CJ concedeu alguns minutos para uma coletiva de imprensa:






Titãs, mais pesado desde Titanomaquia, veio apresentar sua turnê Nheengantu, marcada pelas letras politizadas e os músicos mascarados no início do show.
O disco novo está sendo bem aceito pela crítica e público e não foi diferente nesse evento.
“Fardado” inicia o setlist e as cinco músicas seguintes são do novo mateiral. “Polícia”, Bichos Escroto”, “Desordem”, “Cabeça Dinossauro” também fizeram a alegria dos fãs.




Por mais que eu tente, não conseguirei descrever o que foi, ou como é um show em que Max Cavalera divide o palco com seu irmão Igor Cavalera – só assistindo para saber.
Um arrebenta nos vocais, o outro na batera. E não foi diferente nessa apresentação, que marcou o início da 2014 South América Tour do Cavalera Conspiracy e a divulgação do álbum Pandemoniun, que será lançado em Outubro.
Músicas do novo material e vários clássicos marcaram essa apresentação. Refuse/Resist, Territory, Inner Self e Roots Bloody Roots foram sem dúvida os pontos altos do show, que foi gravado e será usado em um vídeo clipe.
Richie Cavalera, enteado de Max foi a participação especial nos vocais da música Black Ark




A banda Raimundosestava em casa, e mesmo fazendo shows todo o mês pela cidade, mesmo sendo domingo de madrugada, os fãs não arredaram o pé do local que permaneceu lotado quase que até o fim.
Os clássicos marcaram a apresentação.
A novidade ficou por conta da participação especial do ex baterista da banda, Fred, que assumiu a batera em “Mulher de Fases”, “Mato veio”e “Pompei”. Marcelo D2 participou de “Palhas do Coqueiro”, Érika Martins em “A mais pedida” e “Mulher de Fases”.
Encerrando oficialmente a 17ª edição do Porão do Rock, a banda chamou ao palco vários artistas para interpretarem a última música “Puteiro em João Pessoa”. Alf, um dos organizadores do evento assumiu o baixo, Fred a batera, Érika Martins, Dona Cislene, D2 também participaram.




Estrutura:
Em geral, a organização do evento foi ok.
Só deixou a desejar mesmo no trajeto dos palcos Chilli Beans e UniCEUB para o palco Budweiser. Uma parte do caminho foi fechada para isolar os vários telões que ali se encontravam. Ficou bem difícil caminhar, quando o local estava lotado.

Os preços de bebidas e comidas estavam dentro da média e algumas barracas aceitavam cartões.

E o mais importante, o público se divertiu.
Porão do Rock fez seu trabalho e está cada vez melhor em cada edição.